Cortez tem ruas alagadas

O município de Cortês, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, registrou cerca de 46 casas atingidas por deslizamentos de encostas.

De acordo com a Defesa Civil, 112 pessoas estão desalojadas. 18 casas foram inundadas. Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), na cidade choveu 214,06 mm nas últimas 24 horas.

O município tem cerca de 12 mil habitantes.

Palmares em alerta máximo para enchebtes

A Defesa Civil de Palmares, na Mata Sul de Pernambuco, segue monitorando o nível do Rio Una.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Amauri Silva, o município está em estado de alarme e moradores das áreas ribeirinhas do Bairro São Sebastião estão sendo relocados para abrigos temporários.

A Defesa Civil orienta ainda que a população que mora próximo ao rio retire os pertences de suas casas, pois o nível do Rio Una está aumentando. “Quem tem primeiro andar, o ideal é relocar os móveis para cima”, destacou o coordenador. Equipes da Defesa Civil estão ainda monitorando os bairros que possuem encostas, com a ajuda de voluntários do Corpo de Bombeiros Civil. Lonas estão sendo colocadas para evitar deslizamentos.

Temer viaja à Alagoas e Pernambuco na tarde de hoje

O Ministro Bruno Araújo  (Ministério das Cidades), acaba de informar à Imprensa que o presidente Michel Temer irá sobrevoar as áreas mais atingidas pelas chuvas no estado das Alagoas e a noite estará em Recife para uma reunião de emergência com o governador Paulo Câmara.

A chegada a Alagoas está prevista para as 17 horas deste domingo.

Família do Ministro Gilmar Mendes fornece gado para JBS

A família do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), é fornecedora de gados para a JBS, uma das maiores processadoras de carne do mundo e que acaba de ter um acordo de delação premiada homologado pelo tribunal.

A informação foi dada pelo ministro à Folha. No cargo, Gilmar pode ter de tomar decisões sobre a delação.

A reportagem questionou o ministro sobre encontro recente que teve com o empresário Joesley Batista, um dos sócios da JBS que gravou secretamente o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Gilmar confirmou a reunião, ocorrida, segundo ele, a pedido do advogado Francisco de Assis e Silva, um dos delatores da empresa. Joesley, de acordo com Gilmar, apareceu de surpresa ao encontro, que, diz o ministro, tratou de questão referente ao setor de agronegócio.

A conversa ocorreu fora do Supremo, no IDP, escola de direito em Brasília da qual o ministro do STF é sócio. A data da conversa, segundo Gilmar, é posterior a 30 de março, quando o tribunal realizou um julgamento sobre o Funrural, fundo abastecido com contribuições de produtores rurais à previdência.

Os ruralistas questionavam o pagamento ao fundo na Justiça e o STF manteve a obrigatoriedade. O ministro afirmou que votou contra os interesses da JBS.

A gravação de Joesley com Temer foi feita no dia 7 de março, no Palácio do Jaburu.

Gilmar afirmou que conheceu Joesley por causa de negócios na área de agropecuária. Disse que não o via havia mais de um ano, até o encontro recente, em Brasília.

“Minha família é de agropecuaristas e vendemos gado para a JBS lá (Mato Grosso)”, afirmou, acrescentando que um irmão é quem negocia os valores com a empresa.

“Eu já havia o [Joesley] encontrado em outras ocasiões. A JBS tem um grande frigorífico em Diamantino (MT), minha terra, implantado pelo grupo Bertin no governo Blairo [Maggi, governador do Mato Grosso entre 2003 e 2010]”.

Segundo o ministro, a relação comercial com a empresa não é motivo para ele se declarar impedido de participar das votações futuras relacionadas à JBS no STF.

“Não. Por quê? As causas de impedimentos ou suspeição são estritas”, disse.

“[Se fosse assim] Eu não poderia julgar causas da Folha, Carrefour, Mercedes-Benz, Saraiva”, acrescentou, fazendo referências a empresas com quem tem alguma relação comercial [no caso, empresas das quais é cliente].

As declarações foram dadas por ele à Folha antes das 13h, ao ser questionado sobre o encontro que teve com Joesley. Depois, em entrevista a jornalistas no STF, ele declarou que o plenário do tribunal tem de discutir os termos do acordo de delação da JBS, alvo de críticas por supostas fragilidades em relação a penas dos envolvidos.

Para Gilmar, não cabe apenas ao relator (no caso, o ministro Edson Fachin) homologar um acordo. “Me parece que nesse caso, como envolve o presidente, certamente vamos ter que discutir o tema no próprio plenário”, disse.

Perguntado pela Folha se tem receio de ter sido gravado, assim como ocorreu com Temer e Aécio, o ministro do STF respondeu: “Não [tem receio]. Como lhe disse, a conversa se limitou a esse tema [Funrural]”, respondeu.

(Fonte: Folha de S. Paulo)

Chuvas enchem reservatórios no Agreste e na Mata

O fim de semana trouxe de volta a esperança para os moradores do interior de Pernambuco. Cidades do Agreste e Mata Sul receberam um grande volume de chuvas, o que não ocorria desde 2010, quando houve a última grande cheia no Estado.

Em Caruaru, foram mais de 290 mm de chuva, o volume esperado para todo o mês num único dia. A barragem do Rio da Prata, principal manancial, que estava em colapso, dobrou a capacidade.

Com o aumento, o reservatório que abastece Caruaru, Agrestina, Santa Cruz do Capibaribe, Ibirajuba, Altinho e Cachoeirinha está com 10 milhões de m³ de água.

Este acréscimo no volume da barragem irá garantir o uso da água até agosto deste ano, conforme informou a Compesa. “A melhoria do nível do Prata é uma boa notícia, pois ainda estamos no meio da quadra chuvosa, e a nossa expectativa é que a barragem acumule mais água no período das chuvas, assim como outros mananciais do estado”, afirma o diretor Regional do Interior da Compesa, Marconi de Azevedo.

Em Garanhuns, os três reservatórios que fornecem água para o município também elevaram o volume. A barragem do Cajueiro aumentou o nível de acumulação de 43% para 48% (6,9 milhões de m³ de água); Mundaú subiu de 23% para 35% (696 mil m³); enquanto Inhúmas, que estava em colapso, com 5% da capacidade total, agora subiu para 27% (1,8 milhão m³).
Barragens no Sertão também acumularam água.

O manancial Jazigo, localizado em Serra Talhada, voltou a acumular água após seis anos. O reservatório está com 14,8 milhões de m³ de água, o que corresponde a 95,3% da capacidade total, segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).

De acordo com os agricultores que moram nas proximidades da barragem, o local estava seco desde 2011. Com a chegada da água, a paisagem mudou e já tem até pasto para os animais se alimentarem.

Com as chuvas, a falta de estrutura nas cidades ficou evidente e o número de pessoas atingidas por causa de inundações preocupa as autoridades. Barra de Guabiraba, no Agreste, registrou alagamento em vários bairros. Segundo a secretária de governo do município, Heine Freitas, cerca de 1.500 casas foram inundadas e 4 mil pessoas estão desalojadas.

A queda de uma barreira bloqueou parte de um trecho da BR-101 em Palmares, na Mata Sul. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o acidente ocorreu provavelmente por causa da chuva.

Em Belém de Maria, o nível do Rio Panelas subiu e a cidade foi tomada pelas águas, em algumas casas marcando até 80 cm. A população deixou o local e seguiu para os pontos mais altos da cidade.

Em Caruaru, a prefeitura determinou que equipes da secretaria de Serviços Públicos façam uma força-tarefa no Parque 18 de Maio, para garantir a realização da Feira da Sulanca nesta segunda-feira (29) com a limpeza necessária.

Mortes e desaparecidos

Em Caruaru, duas pessoas de idade não divulgadas estão desaparecidas. De acordo com informações da Defesa Civil da cidade, ambas foram levadas pelas águas nos canais que cortam a cidade. Além disso, alguns bairros estão sem energia elétrica.

Em Lagoa dos Gatos, um casal morreu após um desabamento. De acordo com o secretário de administração da cidade, Marcelo Antônio da Silva, um servidor da Compesa estava com a esposa dela, quando por volta de 2h, uma barreira teria caído na residência. Os dois morreram no local.

Comitê

O governador Paulo Câmara está reunido com a equipe para monitorar a situação nas cidades do Agreste e Sertão de Pernambuco. O coordenador de Defesa Civil em Pernambuco, Coronel Fábio Rosendo, disse que o alerta de novas chuvas segue, mas que a tendência é de diminuição. “Até o momento o alerta segue mantido até às 18h.

Após essa hora, vamos saber se vamos emitir um novo alerta. Existe um mutirão no estado para recolher doações para as pessoas que estão fora das casas, principalmente as que moram próximas aos rios.

Chuvas matam casal em Lagoa dos Gatos

Do G-1 Caruaru 

Um casal morreu soterrado na madrugada deste domingo (28) em Lagoa dos Gatos, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com o secretário de Administração do município, Marcelo Antônio da Silva, por causa das fortes chuvas uma barreira teria caído por cima da casa onde eles moravam.

Ainda segundo a prefeitura, a Vila do Rosário, na zona rural, está praticamente submersa. Em alguns pontos, o nível da água chega a dois metros de altura. Comida e água estão sendo enviadas para auxiliar os moradores.

O secretário de Administração disse ainda que em alguns pontos a cidade está ilhada e que a prefeitura está recebendo donativos.

Ainda está chovendo e os níveis dos rios continuam subindo. As cidades de Rio Formoso e Belém de Maria, ambas na Mata Sul, também estão em estado crítico.

Juruna mostrou como se faz

Folha de S. Paulo  – Bernardo Mello Franco

Em outubro de 1984, o dublê de cacique e deputado Mario Juruna convocou a imprensa para fazer uma denúncia contra si mesmo. Ele havia recebido propina do empresário Calim Eid para votar em Paulo Maluf no Colégio Eleitoral.

O xavante se disse arrependido e foi ao banco devolver 30 milhões de cruzeiros. A imagem do índio engravatado atrás de uma pilha de dinheiro resumiu o vale-tudo que embalou a sucessão do general Figueiredo.

Como Tancredo Neves venceu a disputa, ninguém quis investigar as suspeitas de suborno e caixa dois. Eid seguiu carreira como operador do malufismo. Juruna ficou desacreditado e não conseguiu se reeleger.

Mais de três décadas depois, o Brasil discute a possível escolha de outro presidente sem o voto popular. O senador Tasso Jereissati e o deputado Rodrigo Maia despontam como favoritos numa eleição indireta.

Políticos da situação e empresários não aceitam falar em diretas. A aliança que apoiava Michel Temer quer ungir um candidato comprometido com as reformas liberais. A ordem é mudar o presidente sem mudar a alma do governo em decomposição.

Em meio às conversas, articula-se um grande acordo para salvar investigados da Lava Jato. Entre as ideias mais cotadas, estão a anistia ao caixa dois e a concessão de algum tipo de imunidade a Temer, que poderia se estender a outros ex-presidentes.

Pelo roteiro das indiretas, o próximo inquilino do Planalto será escolhido por 513 deputados e 81 senadores. Boa parte deles é investigada sob suspeita de vender projetos de lei, MPs e outras mercadorias menos valiosas que a cadeira presidencial.

Nas últimas vezes que a turma elegeu os chefes da Câmara e do Senado, venceram Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Rodrigo Maia e Eunício Oliveira. Todos delatados na Lava Jato.

Além de mostrar o que acontece numa eleição indireta, Juruna ensinou a usar o gravador em conversas com políticos. O cacique era atrapalhado, mas sabia das coisas.